Espermograma

Espermograma
Espermograma
Avalie essa postagem!

Infertilidade é uma disfunção do sistema reprodutor caracterizada pela dificuldade de conseguir a gravidez após 12 meses ou mais de tentativas sem a utilização de métodos contraceptivos. Se a mulher tiver idade acima dos 35 anos, esse tempo se reduz para 6 meses.

Para que haja a fecundação, tanto os óvulos como os espermatozoides precisam ser saudáveis. Hoje, sabemos que a infertilidade pode ser ocasionada por fatores femininos, masculinos ou por uma combinação deles. Dessa forma, considera-se que 40% dos casos de infertilidade são devido a distúrbios masculinos, 40% devido a distúrbios femininos e 20% de ambos.

O espermograma, também conhecido como análise seminal, é o exame mais indicado para analisar as condições de fertilidade masculinas, pois analisa uma série de aspectos micro e macroscópicos do sêmen, oferecendo informações sobre a qualidade e quantidade dos espermatozoides no ejaculado, e também faz uma avaliação da próstata.

Na área de medicina reprodutiva, o espermograma é o principal exame para diagnosticar a infertilidade masculina, pois os resultados indicam todas as características do sêmen do paciente, oferecendo informações importantes para que o médico possa indicar o melhor tratamento. Os parâmetros seminais normais são determinados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Diferentemente do que ocorre com as mulheres, os homens não têm o costume de fazer exames periódicos e buscam auxílio apenas como último recurso, mas a realização periódica do espermograma pode antecipar e evitar problemas mais graves.

O exame é capaz de identificar aproximadamente 90% dos problemas de fertilidade masculina.

Indicações do espermograma

O espermograma pode ser realizado a qualquer momento e por qualquer razão, mas existem indicações específicas. A recomendação do exame geralmente é feita após análise clínica do paciente.

O exame é indicado, principalmente, para:

Preparo para o espermograma

A coleta da amostra para realização do espermograma deverá ser realizada na clínica, a qual possui sala específica para essa finalidade.

A clínica orientará o paciente no momento do agendamento sobre os cuidados para o exame. De forma geral, deve-se estar em abstinência sexual entre 2 e 7 dias, sem nenhum tipo de forma de ejaculação.

Como é realizado o espermograma

O homem é encaminhado a uma sala preparada e recebe um frasco próprio para a coleta com a identificação da amostra. É importante que as orientações sejam seguidas porque muitos fatores podem interferir nos resultados do exame:

O material coletado é analisado e os resultados, que saem em 01 dia, mostram diversos aspectos do sêmen para a análise do médico solicitante.

Existe uma metodologia específica de análise do sêmen. Primeiro são analisados os aspectos macroscópicos: viscosidade, liquefação, volume, coloração e pH (mede a acidez do sêmen). Na sequência, são analisados os aspectos microscópicos (espermatozoides em si): concentração (quantidade), motilidade total e progressiva, vitalidade e morfologia. O espermograma também verifica a quantidade de outros tipos de células presentes no sêmen.

Muitos médicos solicitam mais de um espermograma para conseguir um índice de confiabilidade maior. Geralmente as coletas são feitas com intervalo de 15 dias.

Resultados da análise do sêmen

Os resultados obtidos na análise do sêmen são comparados com os parâmetros de normalidade determinados pela OMS para verificar se há algum tipo de alteração que possa estar causando a infertilidade.

Análise macroscópica do sêmen

Os aspectos macroscópicos analisados do sêmen são: viscosidade, liquefação, volume, coloração e pH. Cada um desses aspectos, se alterados, podem indicar distúrbios de fertilidade, entre outros problemas.

Se o homem estiver com alguma disfunção na próstata ou nas vesículas seminais, provavelmente o resultado do exame vai indicar alteração na viscosidade, na liquefação (em tempo menor que os parâmetros de normalidade) e/ou no pH (diferentes dos parâmetros de normalidade) do sêmen.

Certas alterações podem indicar presença de infecções, como coloração alterada do sêmen.

Em casos mais graves, o exame pode detectar a presença de sangue no sêmen, que deve ser avaliado pelo médico com urgência.

Análise microscópica do sêmen

Os aspectos microscópicos analisados do sêmen são: a concentração, a motilidade total e progressiva, a vitalidade e a morfologia. Cada um desses aspectos, se alterados, podem causar distúrbios de fertilidade, entre outros problemas.

A azoospermia (ausência de espermatozoides no sêmen) e a hipospermia (baixa quantidade de espermatozoides no sêmen, que pode ter causas variadas) são importantes fatores de infertilidade, portanto a concentração é um dos aspectos mais importantes na análise do sêmen.

No entanto, há três condições importantes além da quantidade de espermatozoides: eles precisam ser móveis, estarem vivos e terem uma boa morfologia. Em muitos casos, o homem produz os espermatozoides, mas eles não sobrevivem, não têm uma motilidade adequada ou não apresentam o formato que deveriam ter, o que também afeta sua capacidade de fertilização.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Última postagem do blog

Assine Nossa Newsletter

E receba gratuitamente conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES