Como funciona a estimulação ovariana?

Dr. Fernando Ferreira Chagas Como funciona a estimulação ovariana?
Como funciona a estimulação ovariana?
Avalie essa postagem!

A gravidez natural depende de uma série de processos que ocorrem no organismo da mulher durante o ciclo menstrual, como mudanças hormonais, crescimento folicular, ovulação, fecundação e implantação embrionária. Qualquer alteração em um desses fatores pode dificultar a ocorrência da gestação.

Algumas condições podem prejudicar a liberação do óvulo, como em mulheres com ovários policísticos, com idade avançada ou falência ovariana precoce. Nesses casos, pode ser necessária a realização da estimulação ovariana. Confira o artigo completo para saber mais sobre esse procedimento!

Como é a liberação ovariana normal?

A liberação ovariana, ou ovulação, é uma das etapas do ciclo menstrual de uma mulher. O ciclo é controlado pelas mudanças dos níveis dos hormônios FSH, LH, progesterona e estrogênio, e acontece da seguinte forma:

O que é a estimulação ovariana?

Consiste na estimulação do ovário por meio do uso de medicamentos específicos. Esses medicamentos permitem que vários folículos cresçam e possam ter seus óvulos aproveitados, diferentemente do processo natural, no qual apenas um folículo se desenvolve a ponto de liberar um óvulo maduro.

Os medicamentos utilizados são hormônios semelhantes àqueles produzidos pelo organismo feminino em um ciclo natural, porém em doses maiores.

A estimulação ovariana é utilizada como método de reprodução humana, como primeira etapa de técnicas de reprodução assistida. O que muda de método para método é a posologia dos medicamentos e o número de folículos que amadurecem. Na relação sexual programada e na inseminação artificial, a dosagem da medicação é menor para que menos folículos liberem óvulos, enquanto na fertilização in vitro (FIV) o número é maior.

Qual é o seu objetivo?

A estimulação ovariana permite que mais óvulos sejam liberados em um mesmo ciclo. Quando é utilizada isoladamente ou como primeira etapa da inseminação artificial, aumenta as chances de que algum óvulo seja fecundado pelos espermatozoides.

Quando é utilizada como primeira etapa da FIV, permite que mais embriões sejam formados em laboratório. Isso significa que o casal terá um número maior de tentativas para engravidar sem a necessidade de uma nova estimulação ovariana, caso não funcione com o primeiro embrião.

Quais são as etapas do procedimento?

A mulher é acompanhada de perto pelo médico especialista durante todo o processo de estimulação ovariana. O procedimento dura entre 8 a 14 dias, de acordo com as especificidades de cada paciente.

Após a realização das medicações, a resposta ovariana e o desenvolvimento dos folículos são acompanhados por meio de ultrassonografias seriadas e de dosagens sanguíneas hormonais, se necessário. Embora alguns procedimentos de reprodução assistida, como a relação sexual programada, possam ser feitos com o ciclo natural, a estimulação ovariana tem papel fundamental para o aumento das chances de sucesso.

Gostou do texto de hoje? Então, aproveite para seguir nossa página no Facebook e acompanhar nossas atualizações!

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de

Avalie essa postagem! Você já ouviu falar em fragmentação do DNA espermático? A análise da fragmentação do DNA do esperma é um teste amplo e complementar ao espermograma, a fim de determinar o dano específico sobre a estrutura e a integridade da fita de DNA […]

Continue lendo...

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 3299-0510

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES