Obesidade e gravidez: é mais difícil engravidar estando acima do peso?

Dra. Mariana Penha De Nadai Sartori Obesidade e gravidez: é mais difícil engravidar estando acima do peso?
Obesidade e gravidez: é mais difícil engravidar estando acima do peso?
5 (100%) 1 votos

Você já deve ter ouvido falar muito sobre a relação entre obesidade e gravidez, mas nem sempre as informações são corretas. É importante sempre checar o que é mito e o que é verdade.

De fato, estar acima do peso é um fator de risco para o desenvolvimento de uma série de problemas de saúde, e emagrecer é uma recomendação médica para auxiliar no tratamento de várias dessas doenças. No entanto, será que a fertilidade feminina também é afetada pelo sobrepeso?

Vamos falar neste post sobre alguns dos mitos e verdades que envolvem o tema. Não deixe de ler!

Mitos e verdades sobre a relação entre obesidade e gravidez

1. Mulheres obesas não podem engravidar

Mito: É verdade que a obesidade interfere na fertilidade feminina, porque ocorre um desequilíbrio no ciclo hormonal. No entanto, mulheres obesas também conseguem engravidar, embora apresentem mais dificuldade para conseguir a concepção e mais riscos de desenvolver problemas durante a gestação.

A redução de peso, por si só, já pode ser suficiente para melhorar a fertilidade da mulher. Isso porque o excesso de gordura corporal aumenta a produção de estrogênio, o que leva a uma reação do organismo, que passa a controlar as funções reprodutivas e reduzir as chances de uma concepção.

Em todo caso, o acompanhamento médico é indicado para avaliar melhor o quadro e verificar se existem outras doenças associadas ao sobrepeso que estejam afetando as possibilidades de uma gravidez saudável.

2. A obesidade afeta a produção hormonal e o ciclo menstrual

Verdade: O sobrepeso provoca disfunções hormonais e altera o ciclo menstrual, prejudicando a ovulação. A gordura corporal em excesso faz com que o organismo produza mais estrogênio do que o normal, o que limita as chances de uma concepção.

Além do aumento de estrogênio, a obesidade está associada a outras alterações do metabolismo e dos sistemas endócrino e reprodutor, como: desregulação dos hormônios FSH e LH; resistência à insulina; aumento na produção de andrógenos (hormônios masculinos); modificação nos níveis de leptina e grelina. Todas essas disfunções no organismo podem levar à ausência de ovulação.

3. Mulheres obesas apresentam carências nutricionais

Verdade: Mulheres com sobrepeso podem apresentar deficiência em vitaminas e nutrientes essenciais para as funções reprodutivas e para a formação do feto, como ferro, ácido fólico e vitamina B12.

O estado nutricional é determinante para as mulheres que querem engravidar. A ingestão suficiente de vitaminas garante o equilíbrio do sistema endócrino, responsável pela produção de hormônios. A alimentação saudável também ajuda no controle glicêmico e da pressão arterial. Todos esses cuidados contribuem para a qualidade das células reprodutivas e para a normalização da ovulação.

4. A obesidade está associada à síndrome dos ovários policísticos

Verdade: Essa doença pode afetar mulheres de todos os grupos. Entretanto, alguns estudos sugerem que a obesidade apresenta impacto na saúde reprodutiva da mulher, incluindo o desenvolvimento, ou agravamento, da síndrome dos ovários policísticos (SOP).

A SOP é uma disfunção que provoca o aumento na produção de hormônios masculinos. O excesso de testosterona no organismo feminino desequilibra os ciclos menstruais, prejudica a ovulação e dificulta a gravidez.

Diante de todos esses fatores, o ideal é que a tentante que está acima do peso consulte um médico e avalie a possibilidade de emagrecer antes de engravidar. Além da diminuição da fertilidade, a obesidade pode trazer sérios riscos obstétricos, como diabetes gestacional, pressão alta, pré-eclâmpsia, infecções de urina, macrossomia fetal e complicações no parto.

Portanto, se você se enquadra nessa condição, não deixe de fazer um acompanhamento e esclarecer todas as suas dúvidas com um especialista. Como você viu, a relação entre obesidade e gravidez apresenta muitos fatores que dificultam a gestação, além de aumentar as chances de que outros problemas se desenvolvam e coloquem em risco a saúde da mãe e do bebê.

Gostaria de receber mais informações sobre fertilidade e gravidez? Assine nossa newsletter e acompanhe nossos conteúdos atualizados.

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de

Avalie essa postagem! Você já ouviu falar em fragmentação do DNA espermático? A análise da fragmentação do DNA do esperma é um teste amplo e complementar ao espermograma, a fim de determinar o dano específico sobre a estrutura e a integridade da fita de DNA […]

Continue lendo...

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 3299-0510

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES