Quais os tratamentos de reprodução nos casos de azoospermia?

admin

Quando falamos em infertilidade masculina, a azoospermia é umas das causas que comparecem com alguma frequência, identificada em cerca de 10 a 20% dos casos. Tal condição é definida pela ausência de espermatozoides em pelo menos duas coletas seminais após centrifugação. Pode ser obstrutiva, quando ligada a bloqueios físicos nos canais do sistema reprodutor masculino capazes de impedir os gametas produzidos nos testículos de se somarem ao líquido seminal, ou não-obstrutiva, quando os testículos sequer parecem produzir espermatozoides. Cada tipo apresenta suas causas distintas e requer seus tratamentos específicos. Em ambos, é necessário avaliar a disponibilidade de espermatozoides, com níveis diferentes de complexidade.  

O diagnóstico para os casos de obstrução consiste em uma combinação de história clínica, exames físicos, análise seminal e dosagens séricas de hormônio folículo-estimulante (FSH) e testosterona. Podem ser solicitados também ultrassonografia, biópsia testicular e exames genéticos. Suas causas envolvem, principalmente, vasectomia, infecções, alterações cromossômicas ou traumas pélvicos e genitais. Para esses tipos de azoospermia, a solução pode encontrar palco na intervenção microcirúrgica, sendo os melhores resultados de acordo com o menor tempo de obstrução.

Para os casos em que não são tratáveis, como ausências congênitas de ductos deferentes, a obtenção dos espermatozóides ocorre principalmente pela aspiração percutânea do epidídimo (PESA) combinada com a Injeção Intracitoplasmática de Espermatozóide (ICSI) no procedimento de Fertilização in vitro (FIV), possibilitando alcançar a gravidez. 

Já os casos não-obstrutivos, são considerados mais graves. Entre as causas conhecidas, existem doenças adquiridas e congênitas. A abordagem invasiva com técnica cirúrgica de biópsia testicular seguida da análise laboratorial dos espermatozoides coletados, possibilitam o tratamento de FIV com ICSI. Porém, é importante pontuar que na biópsia testicular dos casos não-obstrutivos, as chances de encontrar espermatozóides é em torno de 50% e os resultados no tratamento de FIV não são tão promissores. Portanto, é importante avaliar até que ponto é válido usar o material genético do paciente ou recorrer a um sêmen de banco. 

A medicina reprodutiva tem avançado de modo animador. Se, por um motivo ou outro, a concepção não é possível pelo método natural, os homens e casais inférteis podem procurar um especialista.

0 0 votes
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Não espere, congele: posso congelar e doar meus óvulos?
Não espere, congele: posso congelar e doar meus óvulos?

Uma opção para mulheres que ainda não se sentem prontas para as demandas de uma gravidez é o congelamento de óvulos. Mas e se, mesmo com o adiamento da decisão, a mulher decidir indeferi-la em definitivo? Nesse caso, ela poderá doar seus óvulos para outras […]

Continue lendo...

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES