Conheça os 5 principais tratamentos para infertilidade

Dr. Carlyson Pimentel Moschen Conheça-os-5-principais-tratamentos-para-infertilidade
Conheça os 5 principais tratamentos para infertilidade
Avalie essa postagem!

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, estima-se que de 20% a 25% dos casais enfrentem problemas para engravidar. Ansiedade e angústia são sentimentos comuns àqueles que se deparam com sucessivos resultados negativos nos testes de gravidez.

Após um ano de tentativas, é aconselhável procurar ajuda de um especialista em reprodução humana para identificar o que está causando o problema. Existem vários tratamentos para infertilidade. Continue a leitura deste artigo e conheça os principais.

1. Coito programado

relação sexual programada é o tratamento de reprodução humana assistida de menor complexidade. Ele é indicado para mulheres com problemas na ovulação, seja por disfunções hormonais, seja pela síndrome dos ovários policísticos.

O tratamento consiste em estimular os ovários da paciente com medicamentos e acompanhar o desenvolvimento dos folículos a cada dois ou três dias por meio da ultrassonografia.

Quando os folículos estão no tamanho ideal, é injetado o hCG na paciente, hormônio responsável pela indução da ovulação. Na última etapa do tratamento o casal deve manter relações sexuais como no método natural, em que as chances de gravidez são de 20%.

2. Inseminação artificial

inseminação artificial é outro tratamento de baixa complexidade. Ele é indicado para mulheres que não ovulam e homens com alterações leves ou moderadas no sêmen.

Na inseminação artificial, a paciente também passa pela estimulação ovariana e pela indução da ovulação com a injeção de hCG. A inseminação deve ocorrer após 36 horas da administração da injeção devido à liberação do óvulo.

No dia do procedimento, é coletada uma amostra de sêmen e o material é enviado ao laboratório para o preparo e a seleção dos espermatozoides de melhor qualidade. Depois, eles são inseridos dentro do útero com o auxílio de um cateter para que ocorra a fecundação de forma natural. O sucesso do tratamento varia entre 10% a 20% dos casos.

3. Fertilização in vitro (FIV)

Técnica de alta complexidade, a fertilização in vitro (FIV) é indicada para mulheres com endometriose, obstrução nas tubas uterinas, idade avançada, baixa reserva ovariana e outros fatores, e, no caso dos homens, para aqueles com alteração na quantidade e/ou qualidade dos espermatozoides.

No início do tratamento, a mulher deve passar pela estimulação e indução da ovulação para posterior retirada dos óvulos dos ovários. Os óvulos e os espermatozoides são enviados ao laboratório para que sejam colocados em uma placa de petri contendo meio de cultura a fim de que a fecundação ocorra de forma natural. Este método é denominado de fertilização in vitro clássica.

No dia seguinte, é verificada a fertilização dos óvulos pelos espermatozoides e aqueles fertilizados são transferidos para uma nova placa de cultura e mantidos na incubadora para que se desenvolvam. Os embriões em desenvolvimento são criopreservados e em ciclo posterior são transferidos para o útero. A gravidez ocorre entre 35% e 50% dos casos.

4. Injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI)

Além do método de fertilização in vitro clássica, há a opção da FIV que emprega a técnica de ICSI, indicada, principalmente, para homens com baixa quantidade e qualidade de espermatozoides, com dificuldade de ejaculação ou que se submeteram a vasectomia. Os espermatozoides são obtidos por meio da coleta de sêmen ou por uma amostra de tecido retirado diretamente dos testículos.

Com altas taxas de sucesso, a técnica de ICSI consiste em utilizar uma agulha microscópica para injetar o espermatozoide no óvulo. Portanto, diferentemente do que ocorre na FIV clássica, ele não precisa romper a membrana exterior do óvulo, facilitando assim a fecundação. A partir dessa etapa, o procedimento da FIV é o mesmo que do método clássico

5. Criopreservação de sêmen e óvulos

criopreservação é uma técnica que permite que mulheres e homens possam preservar a fertilidade, com taxa de sucesso de 80% a 95% na conservação do material. No caso dos homens, a coleta é feita por masturbação. Os espermatozoides são selecionados e congelados.

O método é indicado para o homem que for se submeter a quimioterapia ou radioterapia, tratamento oncológico agressivo que causa infertilidade. O homem que optar pela vasectomia também pode utilizar a criopreservação como forma de preservar a fertilidade.

Para a preservação dos óvulos, a mulher passa por estimulação e indução da ovulação. Os óvulos resultantes são aspirados por punção folicular, analisados em laboratório e criopreservados/congelados.

A técnica é indicada para mulheres na faixa dos 30 anos que ainda não planejam ser mães, mulheres que não possuem companheiro no momento e não desejam o uso de sêmen de banco e mulheres que vão passar por um tratamento oncológico.

Os tratamentos para infertilidade disponíveis são eficazes para quase todos os problemas reprodutivos. Entretanto, para um resultado satisfatório, é importante buscar o apoio de uma boa clínica de reprodução humana assistida.

Gostou do artigo? Então curta nossa página no Facebook e mantenha-se atualizada sobre o tema.

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de

Avalie essa postagem! Você já ouviu falar em fragmentação do DNA espermático? A análise da fragmentação do DNA do esperma é um teste amplo e complementar ao espermograma, a fim de determinar o dano específico sobre a estrutura e a integridade da fita de DNA […]

Continue lendo...

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 3299-0510

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES