TESE e Micro-TESE

TESE e Micro-TESE
TESE e Micro-TESE
Avalie essa postagem!

TESE e Micro-TESE são técnicas desenvolvidas para coletar espermatozoides diretamente dos testículos, órgãos sexuais masculinos responsáveis pela produção, principalmente, de espermatozoides e de testosterona. Essas técnicas, assim como a PESA e a MESA, são indicadas para homens com azoospermia, que é a ausência de espermatozoides no sêmen ejaculado e que provoca a infertilidade. O objetivo de todas essas técnicas de obtenção cirúrgica de espermatozoides é que o homem consiga fecundar sua parceira com os seus próprios gametas.

TESE

TESE significa extração de espermatozoides dos testículos (testicular sperm extraction), portanto é uma técnica cirúrgica que possibilita a extração de gametas diretamente dos testículos por biópsia aberta. A TESE não requer o uso de microscópio e é realizada em âmbito laboratorial com o paciente sob o efeito de anestesia local.

A TESE, geralmente, é indicada para homens com deficiência na produção de espermatozoides, condição conhecida como azoospermia secretora ou não obstrutiva, cujas causas não podem ser tratadas de outra forma.

Na TESE, o cirurgião faz uma incisão na bolsa escrotal para acessar o testículo e coletar os túbulos seminíferos com uma pinça ou tesoura para análise do laboratório, que é feita ainda durante o procedimento para guiar o cirurgião na retirada dos túbulos (dependendo dos resultados, ele pode manter ou trocar o local de coleta). A última etapa do procedimento é fechar a incisão.

A técnica permite uma retirada de grande quantidade de material, aumentando as chances de sucesso, e um baixo risco de hematoma no pós-operatório, mas tem um custo elevado e pode provocar trauma se houver a necessidade de biópsia.

A TESE apresenta taxa de sucesso de cerca de 50%, já que ela é indicada em casos de azoospermia não obstrutiva, que afeta a produção de espermatozoides.

Micro-TESE

Micro-TESE significa extração de espermatozoides por microdissecção testicular (microdissection testicular sperm extraction) e é considerada uma evolução da TESE. A principal diferença entre os dois procedimentos é que a Micro-TESE é realizada com o auxílio de um microscópio, facilitando a análise do próprio cirurgião durante a realização do procedimento.

A Micro-TESE também é indicada para homens com deficiência na produção de espermatozoides cujas causas não podem ser tratadas de outra forma.

Os procedimentos de TESE e de Micro-TESE são similares. No entanto, como a Micro-TESE faz uso de um microscópio, o cirurgião consegue avaliar melhor os túbulos seminíferos depois da incisão da bolsa escrotal e identificar os focos de espermatogênese.

Por essa razão, a análise do laboratório se torna mais rápida e precisa, elevando as chances de sucesso do procedimento. O cirurgião recebe os resultados laboratoriais durante a cirurgia. Se forem positivos para a presença de espermatozoides, o cirurgião pode continuar retirando material da mesma região. Se os resultados forem negativos, o cirurgião pode mudar o local de análise, inclusive ir para o outro testículo. A última etapa do procedimento também é o fechamento da incisão.

O paciente que se submete ao procedimento de Micro-TESE é internado na modalidade hospital-dia e recebe alta assim que se recuperar do efeito da anestesia. No pós-operatório, o paciente deve realizar compressas geladas por 24 horas depois da cirurgia.

Não são todos os homens que podem passar pelo procedimento de Micro-TESE. O médico deve avaliar em detalhes o quadro de cada paciente para fazer a melhor indicação de tratamento. Doenças graves nos testículos podem ser um impeditivo para a realização da cirurgia.

Assim como todas as outras técnicas cirúrgicas para a obtenção de gametas masculinos, a Micro-TESE pode ser realizada como parte da fertilização in vitro (FIV) ou para conservar espermatozoides em criopreservação, visando uma gravidez em momento futuro. Muitos homens que precisam passar por tratamentos de químio ou radioterapia, por exemplo, procuram clínicas para congelar espermatozoides.

A Micro-TESE é o procedimento mais eficaz para a criopreservação, uma vez que o cirurgião consegue fazer a análise microscópica do material assim que o retira.

Os índices de sucesso da Micro-TESE são um pouco superiores aos da TESE, ficando em aproximadamente 55%.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Última postagem do blog

Assine Nossa Newsletter

E receba gratuitamente conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 3299-0510

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES