Hatching Assistido

Hatching Assistido
Hatching Assistido
Avalie essa postagem!

A expressão “Hatching” significa “eclosão”. O embrião, para se fixar na parede interna do útero (endométrio), precisa eclodir, ou seja, romper sua zona pelúcida, que é a membrana que envolve inicialmente o óvulo e continua envolvendo o embrião após a fecundação. A principal função da zona pelúcida é impedir que o óvulo seja penetrado por mais de um espermatozoide ou por espermatozoides de outras espécies. Esse processo de fixação do embrião no endométrio é denominado implantação.

Em gestações naturais, o embrião se fixa ao endométrio em estágio de blastocisto, que tem início no 5o dia de desenvolvimento do embrião depois da fecundação, quando o embrião já está em um processo mais avançado de divisão celular. Nesse momento, a zona pelúcida precisa se romper; caso contrário, a implantação não ocorre.

Se a mulher tiver algum distúrbio nessa fase, como a zona pelúcida mais espessa, ela pode apresentar quadro de infertilidade. O Hatching Assistido é uma técnica realizada por embriologista que auxilia na eclosão do embrião. O procedimento torna a zona pelúcida mais fina ou produz um orifício para facilitar o rompimento da membrana e a implantação.

O objetivo da técnica é aumentar os índices de sucesso da FIV.

Indicações do Hatching Assistido

O Hatching Assistido é indicado em casos bastante específicos de mulheres com dificuldades de implantação que estejam em processo de fertilização in vitro (FIV).

As principais indicações são:

Como é realizado o Hatching Assistido

Em alguns casos, é possível saber previamente se haverá a necessidade de realização do Hatching Assistido. Em outros casos, isso só é definido no momento que a equipe de embriologia analisa os embriões em cultivo, já durante o ciclo de FIV.

Ao longo das últimas décadas, a técnica foi sendo aprimorada. Inicialmente, ela era realizada de modo mecânico e hoje é feita a laser, método que tem demonstrado melhores resultados. Ela também pode ser realizada pelo método químico.

Mecânico

O Hatching Assistido foi desenvolvido inicialmente de maneira mecânica. O embriologista produz um orifício na zona pelúcida do embrião para facilitar a implantação utilizando uma microagulha. Com a evolução das técnicas de reprodução assistida, outras formas de realizar o Hatching Assistido foram desenvolvidas e esse método foi sendo abandonado.

Químico

O método químico também já não é mais utilizado com frequência por seu alto risco de prejudicar o embrião. Os ácidos aplicados na membrana são fortes e podem penetrar na membrana, afetando o embrião. O problema da implantação pode ser resolvido, mas outros podem surgir.

A laser

Atualmente, o método a laser é o mais indicado, pois é considerado um método não invasivo que consegue afinar ou abrir parte da membrana do embrião sem afetar seu interior.

Assim como muitas outras técnicas, o objetivo do procedimento é aumentar os índices de sucesso da FIV.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Última postagem do blog

Assine Nossa Newsletter

E receba gratuitamente conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES