PESA e MESA

PESA e MESA
PESA e MESA
Avalie essa postagem!

PESA e MESA são técnicas desenvolvidas para coletar espermatozoides cirurgicamente diretamente do epidídimo, duto que liga os testículos ao duto deferente cuja função é armazenar e transportar os espermatozoides. Essas técnicas são indicadas para homens com quadro de azoospermia, que é a ausência de espermatozoides no sêmen ejaculado e que provoca a infertilidade. O objetivo é que o homem consiga fecundar sua parceira com os seus próprios gametas.

Existem, ainda, outras técnicas que podem ser indicadas para casos de azoospermia, como TESE e Micro-Tese, que coletam espermatozoides diretamente dos testículos.

PESA

PESA significa aspiração percutânea de espermatozoides do epidídimo (Percutaneous epididymal sperm aspiration), portanto é uma técnica cirúrgica que consegue extrair gametas diretamente do epidídimo.

Ela está indicada, principalmente, para homens com deficiência na circulação dos espermatozoides pelos canais de passagem (dutos deferentes) durante o processo de ejaculação, mas pode ser realizada também em homens com azoospermia secretora, que é a deficiência na produção dos espermatozoides pelos testículos, embora os índices de sucesso nesses casos sejam bastante reduzidos, tendo em vista que a produção de espermatozoides está deficiente.

A PESA é uma técnica cirúrgica percutânea minimamente invasiva realizada em centro cirúrgico com o paciente sob o efeito de anestesia local.

Durante o procedimento, o cirurgião analisa de quais regiões do epidídimo serão extraídos os espermatozoides e, utilizando seringa e agulha, faz a punção dessas seções. O material é analisado em laboratório ainda durante a cirurgia e o cirurgião, dependendo dos resultados, pode continuar extraindo espermatozoides do mesmo local ou mudar para outro, até que tenha material suficiente para a posterior fertilização.

Essa técnica pode ser utilizada como parte da técnica de fertilização in vitro (FIV) ou para criopreservação, dependendo do objetivo do homem.

MESA

MESA significa aspiração microcirúrgica de espermatozoides do epidídimo (microsurgical epididymal sperm aspiration), portanto também é uma técnica cirúrgica que consegue extrair gametas diretamente do epidídimo, embora seja mais complexa que a PESA.

Da mesma forma que a PESA, a MESA está indicada, principalmente, para homens com deficiência na circulação dos espermatozoides. Em homens com azoospermia secretora, os índices de sucesso também são reduzidos, devido à deficiência na produção de espermatozoides.

A MESA é um procedimento também microcirúrgico, mas mais complexo que a PESA, pois é feito com o paciente sob efeito de anestesia geral em centro cirúrgico especializado e requer microscópio e fio microcirúrgico.

O procedimento segue algumas etapas: é realizada uma pequena incisão na bolsa escrotal para que seja possível acessar o testículo e o epidídimo; na sequência, o cirurgião utiliza o microscópio para analisar o epidídimo e coletar as seções com maiores possibilidades de ter espermatozoides; o material retirado é analisado no próprio centro cirúrgico durante o procedimento para elevar as chances de sucesso da cirurgia; o cirurgião, dependendo do resultado da análise, pode optar por continuar retirando material do mesmo local ou mudar.

A MESA também pode ser utilizada como parte da FIV ou com fins de criopreservação, de acordo com o caso.

Principais diferenças entre PESA e MESA e índices de sucesso

A PESA, por ser um procedimento mais simples, oferece as vantagens de ter um custo mais baixo e ser menos invasiva, havendo menos risco de traumas. A desvantagem da PESA é que o cirurgião consegue coletar uma quantidade inferior de espermatozoides, em comparação com a MESA, fazendo com que a técnica seja menos indicada para pacientes que querem criopreservar os gametas.

Já na MESA, o paciente não tem risco de contaminação por hemácias e o risco de obstrução do epidídimo é muito menor. No entanto, o procedimento pode impossibilitar novas tentativas, porque há risco de fibrose.

O sucesso dos procedimentos depende da causa da azoospermia. Se for obstrutiva, os índices de sucesso chegam a 95%. Se for não obstrutiva, esses índices caem para aproximadamente 50%.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Última postagem do blog

Assine Nossa Newsletter

E receba gratuitamente conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 3299-0510

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES