Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)

Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)
Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)
Avalie essa postagem!

Os ovários são duas glândulas do sistema reprodutor feminino que liberam os óvulos e produzem hormônios, como os estrogênios e a progesterona. Eles ficam na cavidade pélvica e são essenciais para a reprodução humana.

Durante o ciclo menstrual, o organismo feminino normalmente produz cistos nos ovários, que desaparecem também ao longo do ciclo. A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é uma doença que provoca um distúrbio nos níveis hormonais no organismo feminino que gera cistos permanentes nos ovários, alterando sua forma e tamanho. Essa doença também provoca uma elevação da produção da testosterona, portanto a mulher pode adquirir algumas características masculinas, e a menstruação irregular.

A SOP afeta muitas mulheres em idade reprodutiva, principalmente entre os 20 e os 30 anos. Estima-se que cerca de 15% a 20% das mulheres tenham o distúrbio.

Causas

Ainda não há estudos que comprovem as causas da SOP. No entanto, alguns aspectos podem estar relacionados com o seu surgimento, como a produção de níveis elevados de insulina e alterações genéticas. Mulheres cujas mães apresentam o distúrbio têm maiores chances de desenvolver a doença. Por essa razão, é importante investigar o histórico da paciente.

Sintomas

A SOP pode apresentar uma série de sintomas. O médico deve estar atento aos sinais e investigá-los até ser possível fechar o diagnóstico. Alguns dos sintomas são:

Além desses sintomas, a SOP, quando mais agressiva, pode causar consequências mais graves, como câncer do útero, problemas cardiovasculares, entre outros.

Exames e diagnóstico

O diagnóstico da SOP é feito com base em exames específicos. O exame clínico é a primeira etapa. O médico pode investigar pela anamnese e pelo exame físico as queixas da paciente e obter informações importantes.

Para confirmar o diagnóstico, existem dois exames principais: a ultrassonografia pélvica e as dosagens hormonais, principalmente de testosterona, que apresenta níveis elevados no corpo feminino nos casos de SOP. No entanto, é importante investigar outros hormônios, como FSH, LH e o Estradiol, assim como as curvas de glicemia e insulina. Na ultrassonografia pélvica, os ovários se mostram aumentados e há a formação de diversos microcistos em cada um deles. Ambos os exames devem ser realizados para o diagnóstico de SOP.

Depois de realizados os exames, o médico avalia os resultados. De modo geral, se na ultrassonografia houver a presença de microcistos e a mulher tiver distúrbios hormonais, com elevação da testosterona, o diagnóstico de SOP é muito provável. Se, por outro lado, a ultrassonografia identificar os microcistos, mas a mulher não tiver indícios de transtornos ovulatórios ou vice-versa, a mulher pode ter alguma outra doença, não SOP.

Se você notar algum ou alguns dos sintomas de SOP, procure um médico, pois o diagnóstico precoce evita consequências mais graves, como o câncer do útero e problemas cardíacos.

Tratamentos

Os tratamentos da SOP variam de acordo com os sintomas da paciente e da gravidade da doença. Depois de avaliar o caso, o médico pode propor o melhor tratamento, geralmente com medicamentos. O tratamento cirúrgico não tem sido mais indicado em razão dos índices de sucesso dos medicamentos.

Independentemente do tipo de tratamento, é importante que a mulher busque fazer uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos para alcançar uma melhoria da qualidade de vida.

O controle pode ser feito com medicamentos pode ser feito com anticoncepcionais orais e fármacos para controle da diabetes, em casos de a SOP estar relacionada com a resistência à insulina.

Os anticoncepcionais regulam o ciclo menstrual, reduzem as cólicas e a produção e crescimento dos microcistos. Além disso, certos anticoncepcionais orais têm ação antiandrogênica, portanto podem controlar os sintomas relacionados às características masculinas.

SOP e a gravidez

Se a mulher estiver planejando uma gravidez, recomenda-se que o tratamento seja dirigido para o objetivo do casal. Por isso a indução a ovulação através de medicamentos hormonais pode ser uma solução viável para o problema de anovulação causado pela SOP.

Estas medicações podem ser administradas por via oral ou injetável (subcutânea). A medicação oral possui um menor custo, porém uma eficácia reduzida. Em contrapartida, a medicação injetável possui uma maior eficácia e um custo mais alto. Com a estimulação ovariana, o casal possui diversas opções para alcançar a tão desejada gravidez. Relação sexual programada e inseminação intrauterina são algumas delas. Estas opções devem ser discutidas com o seu médico especialista de confiança.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Última postagem do blog

Assine Nossa Newsletter

E receba gratuitamente conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 3299-0510

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES