Infertilidade masculina

Infertilidade masculina
Infertilidade masculina
Avalie essa postagem!

A infertilidade masculina é um tema recente, quando comparado com a infertilidade feminina. Por muitos séculos, apenas a mulher era tida como única responsável pela infertilidade do casal, mas isso mudou e a infertilidade masculina já há algum tempo é objeto de muitas pesquisas.

Essa “descoberta” também foi responsável por mudanças sociais significativas relacionadas, principalmente, à condição da mulher na sociedade e aumentou expressivamente as chances de reprodução.

A infertilidade masculina pode ser provocada por uma série de fatores: alterações na qualidade dos espermatozoides, doenças, hábitos de vida e idade.

Atualmente, diversos recursos são oferecidos ao homem infértil para que ele possa engravidar sua parceira.

A infertilidade masculina é responsável por 30% dos casos de infertilidade dos casais.

Distúrbios no espermatozoide

O espermatozoide é o gameta masculino responsável pela fecundação do óvulo. Algumas características desses gametas são fundamentais para que a concepção possa ocorrer: quantidade no ejaculado, motilidade e morfologia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) é o órgão que estabelece os parâmetros de normalidade do espermatozoide. Qualquer alteração nesses parâmetros pode levar ao diagnóstico de infertilidade.

Portanto, se houver quantidade insuficiente de espermatozoides no ejaculado, se uma porcentagem elevada deles não tiver uma motilidade e uma morfologia adequadas, o homem provavelmente apresentará um quadro de infertilidade, que pode ser avaliada pelo médico por um espermograma, exame masculino voltado para o estudo dos espermatozoides.

Essas são apenas algumas das características do espermatozoide para que a concepção ocorra. Hoje, pesquisas têm mostrado que eles também precisam de condições ideias para sobreviver ao sistema reprodutor feminino. Para fazer essa avaliação, o médico pode solicitar testes de função espermática.

Doenças

Algumas doenças no sistema reprodutor masculino podem afetar algumas dessas características dos espermatozoides.

A criptorquidia, que é a doença provocada pela descida incorreta do testículo para a bolsa escrotal, pode prejudicar a produção de espermatozoides, levando à infertilidade. A varicocele, a orquite, a epididimite e a prostatite, assim como alguns distúrbios genéticos, também podem afetar a produção de espermatozoides, levando à infertilidade.

Os principais exames para identificar essas doenças são: exame físico, de sangue, espermograma, ultrassonografia escrotal e exame de toque retal.

Hábitos de vida e idade

Por muitos séculos acreditou-se que a idade masculina não interferia na sua capacidade de reprodução, mas pesquisas recentes têm demonstrado que o homem também sofre redução em sua capacidade reprodutiva ao longo da vida. Ainda não há dados que demonstrem as faixas etárias em que há essa redução, mas pesquisas relacionadas às técnicas de reprodução assistida já indicaram que, quanto mais velho o homem, maior a chance de infertilidade do casal.

Assim como na infertilidade feminina, alguns hábitos de vida também interferem diretamente na fertilidade do homem: sedentarismo, alto consumo de bebidas alcóolicas, tabagismo e obesidade.

A reprodução assistida e a infertilidade masculina

Um especialista em reprodução humana é o profissional capaz de fazer as avaliações necessárias para diagnosticar a infertilidade e propor o tratamento correto. Procure um especialista caso esteja com dificuldades de engravidar.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Última postagem do blog

Assine Nossa Newsletter

E receba gratuitamente conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 3299-0510

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES