Como descobrir se sou infértil?

Como descobrir se sou infertil?
Como descobrir se sou infértil?
Avalie essa postagem!

Estima-se que exista 20% de chance de a mulher engravidar em cada ciclo menstrual e, cumulativamente, 80% em um ano, se o casal mantiver relações sexuais em todos os períodos férteis da mulher. Isso mostra que conseguir a gravidez não é tão simples.

Os parâmetros que determinam a infertilidade de um casal são estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e utilizados em todo o mundo como diretrizes para a indicação de técnicas de reprodução assistida.

Segundo a definição clínica dada pela OMS, infertilidade é uma disfunção do sistema reprodutor caracterizada pelo fracasso de conseguir a gravidez depois de 12 meses ou mais de tentativas sem a utilização de métodos contraceptivos. Caso a mulher já tenha uma idade superior a 35 anos, esse tempo se reduz para 6 meses.

Se o casal não conseguir engravidar dentro desse período, recomenda-se que tanto o homem como a mulher procurem um médico especialista em fertilidade para fazer uma avaliação completa. Em alguns casos, por exemplo de certas alterações, é possível tratar a causa da infertilidade e o casal conseguir a gravidez. Em outros casos, a infertilidade é decorrente de fatores que não são passíveis de tratamento, como a menopausa precoce, sendo necessário o apoio da medicina reprodutiva para o casal conseguir a gravidez, principalmente das técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV), a inseminação artificia (IA), a relação sexual programada, entre outras.

O campo da medicina reprodutiva evoluiu muito ao longo do tempo. Hoje, a FIV, por exemplo, consegue oferecer mais chances de gravidez do que o método natural. O casal que está encontrando dificuldades de engravidar tem uma série de recursos disponíveis para alcançar esse sonho.

Atualmente, a OMS estima que de 20% a 25% dos casais sejam inférteis.

Outra definição importante da OMS é de infertilidade primária e infertilidade secundária.

Infertilidade primária

A infertilidade primária é definida como a incapacidade de engravidar ou de levar uma gravidez a termo. Assim, tanto os casais que não conseguem engravidar como aqueles que têm sucessivos abortos são casos de infertilidade primária. Encaixam-se nessa categoria também os casais que geraram um filho natimorto.

Os casais só deixam de ser classificados na categoria de infertilidade primária quando têm um filho que nasce vivo.

Infertilidade secundária

Como muitos fatores interagem para que a gravidez aconteça, sendo um deles a idade da mulher, o casal que já teve um filho nascido vivo pode vir a se tornar infértil.

Dessa forma, recomenda-se que o casal que esteja buscando o segundo filho e não esteja obtendo sucesso também procure um especialista em reprodução humana. Hoje, há inúmeros recursos à disposição para investigar as causas de infertilidade e tratá-las.

Diagnóstico da infertilidade

Ao começar a investigação das causas da infertilidade, o médico avalia o ciclo menstrual e a ovulação, período mais propício à fecundação, que ocorre em torno do 14o dia, de acordo com o cálculo do ciclo menstrual. Manter relações sexuais em dias próximos a essa data aumenta as chances de gravidez. No entanto, o ciclo da mulher pode ser irregular, dificultando a identificação do período fértil. No período fértil, o corpo dá alguns sinais da ovulação: o muco cervical se torna mais líquido para permitir uma melhor locomoção dos espermatozoides e a libido se intensifica.

A saúde também é um fator importante para a gravidez, portanto algumas mudanças no cotidiano também podem aumentar as chances de gravidez. Recomenda-se ao casal a prática de exercícios físicos, uma alimentação saudável e a diminuição ou o abandono do consumo de bebidas alcóolicas e do tabagismo.

Se o casal não conseguir a gravidez, o médico dá início à investigação das causas da infertilidade. Para isso, fará uma investigação clínica do casal e poderá solicitar uma série de exames, cada um com uma função específica. Os exames mais solicitados são:

De posse dos resultados, o médico consegue avaliar se é possível tratar as causas da infertilidade ou se o casal precisará optar por técnicas de reprodução assistida. Nesse caso, são apresentados os tratamentos que a medicina reprodutiva oferece e o casal, com o apoio do médico, faz a escolha.

Todo esse processo é bastante complexo e deixa muitos casais sensibilizados, portanto o médico precisa lidar com a situação da maneira mais profissional, esclarecedora e cordial possível, desmistificando a utilização das técnicas e mostrando que elas surgiram com o intuito de auxiliar casais inférteis a terem seus filhos e que esses filhos nascem com saúde como os nascidos pelo método tradicional.

Se alguém suspeita de que tem algum problema de fertilidade, o mais indicado é procurar um fertileuta, médico especialista em reprodução assistida.

0 Comentários

Os comentários estão fechados.

Última postagem do blog

Assine Nossa Newsletter

E receba gratuitamente conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Agende sua consulta online

Agendar agora

+55 (27) 3200-4818

+55 (27) 3299-0510

+55 (27) 98884-4818

@unifert

@clinica_unifert


Rua Dr. Freitas Lima, 100 – Centro de Vila Velha, Vila Velha – ES